Até mais, Vichy

31 08 2009

Finalmente me despedi de Vichy. Esta ultima semana de “férias” começou, na segunda-feira, com uma ida ao ginásio de Vichy para assistir um jogo amistoso de vôlei entre o Brasil e a França (o jogo era valido como preparação para o mundial sub 18). O Brasil deu um baile: 3 a 0. Parece que o time brasileiro é um dos favoritos ao campeonato… já os franceses… désolé hehehe. Tiramos fotos e conversamos com os jogadores, que provavelmente estarão em alguns anos na seleção principal! Eles ficaram bem contentes com a torcida, já que havia uns 20 brasileiros no ginásio.

Falando em vôlei, terça foi meu ultimo dia de jogar vôlei no ginásio de Vichy: 7 partidas, 7 vitorias, junto à panela invencível :D. Quarta foi a festinha de despedida da turma de aula do CAVILAM, que foi no Tahiti Plage: tive que pagar bebida para um chinês pois perdemos o jogo de perguntas e respostas na aula! Quinta feira, ocorreu a despedida brasileira na praia. Mais de 30 brasileiros estavam la quando fui embora, e fiquei sabendo que houveram mais brasileiros ainda que apareceram pro resto da noite. Na sexta de manha, finalmente foi o dia da partida: às 9h15 partimos rumo à Lille, eu, a Cris, o Yuri, o Thiago, o Joia, três chineses e um russo, com um ônibus somente pra gente! =)

Com certeza me lembrarei por muito tempo destes dois meses de Vichy. Fiz muitos bons amigos aqui que agora irão para outras écoles, brasileiros e estrangeiros. Com certeza devo visitar Paris, para cantar umas musicas gauchas com o Luciano, falar de futebol com o Cassio, conversar com a Débora e a Isabela, encontrar o chato do Micael, ver como vão as coisas com o Pablo, o Jocimar e o Matheus. Em seguida, posso ir à Lyon, onde estarão os palmeirenses Sérgio e Willian, a Larinha, torcedora sofredora do Vitoria, e a carioca Adriana.

Se eu quiser me enveredar pelo oeste, posso parar em Nantes, onde com certeza posso encontrar a querida da Ju, o dançarino da Poli, Adrian e o carioca do cérebro grande, Ricardo. E, é claro, quando eu quiser visitar as praias do sul e o frio do Norrrrrd apertar, passarei por Marseille, onde estará estudando Monsieur Foppa, a gaucha com sotaque mais distorcido que existe, Viviane, a carioca funkeira Alessandra, e as figuras Joaquim e Antônio.

Claro que não posso esquecer os estrangeiros: sei que eles provavelmente não lerão isso, e se lerem não entenderão, mas ainda assim quero falar deles. Em primeiro lugar, da minha querida Irma chinesa, a Xin. Ela até chorou quando fui embora. Com certeza visitarei-a em Nantes, junto com o Vladimir, grande russo que já é até colorado! Tem ainda o meu irmão alemão, Paul, que é meio chato na verdade, mas que posso visitar caso eu queira conhecer a região próxima a Ulm, na Alemanha. Não posso me esquecer dos mexicanos, o Martin, o Edgar, a Lucero e o Omar, que cada dia me cumprimentava com um palavrão em português. Falando em palavrões, tinha o Asiz, grande figura dos Emirados Arabes que já sabia mais palavrões em português do que eu. Houve ainda as colegas suíças, Jelena, Domenica e Lynn, sempre curiosas sobre a vida no Brasil, e que visitarei la na longinque Lucerna, na Suiça. Outros que acho que não visitarei por ser um pouco mais difícil, são os chineses Weihan e Weidja, que foram meus colegas, pessoas muito legais!

Não posso me esquecer, é claro, da minha família de accueil. Apesar de minha mère ter estragado minha camiseta do Guiñazu que ganhei da minha dinda, ainda assim eles foram uma família muito boa. Jean-François, meu père francês, sempre fanático por seus jogos de cavalos, e gostava muito de falar de esportes (ele tirava sarro que a França ganhara a final de 98 e eu que o Brasil tinha 4 mundiais a mais ainda que a França). Minha mère, Beatrice, que sempre tentava fazer as comidas que eu gostava, e que sempre estava disposta para conversar comigo e me ajudar com o francês. Meus frères, Morgan e Romain, com os quais não convivi muito pois eles passaram boa parte do verão passeando, mas mesmo assim sempre foram legais e pacientes com meu francês em desenvolvimento.

Agora uma nova etapa começa. Este post foi digitado do ônibus no qual estou me dirigindo para Lille. Espero encontrar la pessoas legais como as que conheci la em Vichy. Espero nunca perder contato com esse povo todo. Bom, agora é muito trabalho, alguns passeios e rumo ao duplo-diploma! Abraço!

Anúncios




Velorail em Noyant e Gour de Tazenat

24 08 2009

Os últimos 10 dias aqui em Vichy não foram muito movimentados. Fiz um exame de francês, no dia 20, para ajudar a verificar em qual nível de francês eu ficarei na Ecole. Achei um pouco difícil o exame, principalmente a parte de compreensão oral, onde os textos eram muito rápidos e extensos. Mas como a intenção do nível é saber se tu é um iniciante ou um falante nativo, talvez eu não tenha ido tão mal.

Durante a semana, fiz as mesmas coisas que sempre tenho feito: segunda sem aula de manhã, como sempre. Aula à tarde apenas. Terças e sextas, sempre jogo vôlei, ao menos 1h30: isso tem me feito pensar em jogar vôlei la em Lille, é uma possibilidade. Quarta-feira ganhei o dia quando eu estava voltando de bicicleta pra casa: ao parar num cruzamento, um carro parou do meu lado e o francês pediu informação. “Aqui ainda é Vichy”, diz ele. Respondi que sim, e perguntei para onde ele estava indo. Ele queria saber pra que lado era Moulins. Moulins é pro norte de Vichy, mas não tinha placa ali na hora, apenas uma placa para Le Puy, que eu sabia que era ao sul. Indiquei pra ele pelo menos a direção correta! :D

Quinta veio um casal de amigos da minha família jantar aqui em casa. Comemos comida chinesa, feita pela minha soeur d’accueil e por uma chinesa amiga dela. Ficamos quase 3 horas na mesa, pois franceses adoram passar tempo fazendo nada. O pior é que foi apenas um aquecimento pro dia seguinte: 18 pessoas na mesa durante 4 horas, pois era o aniversario do Morgan, o filho do casal francês. Alguns dormiram aqui em casa pois iriam no passeio de sábado.

O passeio de sábado foi na cidade de Noyant d’Allier, à 60 km de Vichy (a cidade tem incríveis 900 habitantes). Dezenove pessoas, incluindo eu e toda minha família daqui foram. Pela manha, andamos no velorail. São bicicletas adaptadas para 4 pessoas (mas somente duas pedalam por vez) para andar sobre os trilhos do trem. São 10 km de percurso, 5 descendo e 5 subindo. Fui com as chinesas, para minha sorte, pois elas já são acostumadas a andar de bicicleta todo o dia na China, então não foi cansativo :D. Almoçamos num restaurante vietnamita: esse almoço saiu 18€, e com certeza não valeu tudo isso. A melhor parte foi o sorvete que eu ganhei duma criança que tava com a gente. Em troca, dei 3 reais pra ele de dinheiro brasileiro e ele ficou todo faceiro! A tarde, visitamos uma pagode indiana na cidade (conjunto de templos), com varias referencias ao budismo. Tirei varias fotos boas! Em seguida, visitamos o Musée de La Mine, nas minas de carvão que existiam na cidade antigamente. Bastante interessante.

No domingo, visitei o Gour de Tazenat, um lago numa cratera vulcânica formada há 30000 anos. O lago fica a mais ou menos uma hora de ônibus de Vichy. Fomos com o CAVILAM, eu e mais uns 20 brasileiros. O lugar é muito bonito! Tirei varias fotos de pontos estratégicos da trilha em torno do lago. Tomamos banho também numa praia improvisada que tinha numa parte do trajeto: a água era um pouco fria, mas até que foi legal. Não me aventurei muito para nadar, pois a água era profunda se tu avançasses dois ou três metros, já que o lago é como uma bacia, e não uma lagoa natural.

Este é meu penúltimo post em Vichy. Ah, e as fotos sobre os passeios acima descritos ja estao no Picasa, acessado como sempre pela aba ‘Fotos’. Bom, esta semana já é minha ultima aqui: tenho que já começar a preparar minhas coisas, pois viajo na sexta-feira às 8 da manhã para Lille. Então, até mais!





Annecy

19 08 2009

No domingo, dia 9 de agosto, à noite, chegamos à Annecy. A chuva foi nossa amiga: caiu um temporal durante o trajeto entre Genève e Annecy, que durou pouco mais que 1 hora. Quando chegamos, a chuva já tinha passado, e o clima estava bastante agradável: largamos as coisas no hotel, que era realmente bom (melhor que o de Genebra), e fomos jantar na cidade. Mais uma vez, comi pizza, desta vez não tão boa quanto aquela de mais cedo. Mesmo assim, a janta foi boa.

No outro dia, acordamos cedo para tentar aproveitar bastante a cidade: a primeira coisa que fui fazer foi tomar café, em alguma padaria. Encontramos uma que oferecia, por 5€50, café, pão com manteiga, croissant e suco de laranja. Foram os 5€50 mais bem investidos do passeio: eu não havia tomado uma gota de café no dia anterior em Genebra, fato que acho que não acontecia há muito, muito tempo (10 anos, talvez mais). Revigorado, pude começar a visita aos pontos chave da cidade.

Annecy é realmente uma cidade bonita, acho que a melhor que visitei até então: talvez o tempo nublado, nem frio, nem calor, ajudou. De qualquer maneira, começamos explorando o Champ de Mars, um parque muito bonito no entorno do lago. O gramado é mais parelho que vários estádios de futebol do Brasil. O lago também tinha um aspecto muito agradável: vários barcos, pedalinhos e lanchas, junto com cisnes e patos nadando livremente. Passamos pelas principais construções ali na volta: Eglise Saint-Maurice e o Hotel de Ville.

Ao chegar no centro antigo, a primeira coisa que se nota é o Palais de l’Isle. A construção, sobre o rio, foi construída no século XII, e serviu primeiramente como prisão, até a Revoluçao Francesa. Hoje em dia, tem apenas funções turísticas. Depois, subimos a montanha em direção ao Château d’Annecy, o quarto castelo no meu currículo. Este foi meio sem graça: o castelo foi totalmente adaptado para receber turistas, logo, tem varias galerias e salas fechadas, não podemos tirar fotos dentro dos prédios (embora eu fotografei o salão), tem um museu com obras de artes não tão interessantes (transformar um castelo em museu, na minha opinião, é um desperdício – o próprio castelo deveria ser a atração principal). Valeu a ida ao terraço, que proporcionava uma bela vista da cidade e do lago.

A próxima parada estava ainda mais acima, a Basilique de La Visitation. Esta basílica é relativamente recente: sua construção foi entre os anos de 1909 e 1930. Ela é extremamente alta: é preciso se distanciar uns bons 50 metros para fotografa-la por inteiro. Por dentro, ela é bem simples até, mas sem deixar de ser bela. A vista do platô da cidade era ainda melhor que a vista do castelo.

Fomos almoçar após, um dos almoços mais pobres que tive aqui: comi crepe francês, uma espécie de panqueca, fina e sem graça… pela bagatela de 6€90. Lamentavel. Passamos em seguida na Cathedrale Saint Pierre, novamente no centro antigo de Annecy. Finalmente, a ultima parada foi no lago, onde fiquei descansando assistindo o Foppa, a Isabela e a Vivi se divertirem nos pedalinhos (eu estava deveras fatigado para pedalar um barco). Finalmente, às 18h15 pegamos o trem para Lyon, e depois outro trem de Lyon a Vichy. Cheguei em casa apenas às 22h40, e termina ai a maior viagem feita até aqui. Abraço!





Genebra

15 08 2009

Finalmente vamos falar de viagens! Nos dias 8 e 9 de agosto, estive em Genebra, na Suiça. La, a lingua falada também é o francês, mas eles usam o franco suiço como moeda, logo, nada de euros (apesar de que a maioria dos lugares os aceitavam, no final das contas). Partimos eu e mais 10 brasileiros e uma russa para Genebra às 6h56 de Vichy! Apos seis horas de viagem de trem (contando uma espera de duas horas em Lyon, ja que nao existem trem diretos de Vichy à Genebra), chegamos na bela cidade suiça.

Bela, mas grande. Acho que ja desacostumei com cidades grandes. Havia bastante movimento, em grande parte porque naquele final de semana encerravam as festividades da cidade. No sabado, quando chegamos, fomos almoçar e apos dar uma volta pela parte norte da cidade. Passamos pelo monumento Brunswick, erguido em homenagem a Charles II, um duque suiço. E finalmente, chegamos no lago! A paisagem é muito bonita: no dia, havia varios brinquedos de parques de diversoes, o lago estava cheio de lanchas e barcos, e havia muita gente. Tiramos umas fotos rapidamente pois estava chovendo. Passamos ainda pelo Horloge Fleurie, um relogio construido com flores, ponto turistico tipico de Genebra. Apos essa ligeira visita, fomos ao hotel pegar os quartos que tinhamos reservado e largar as coisas.

O Hotel ficava na França, à 6 km do centro de Genebra. Para chegar la, bastava pegar o Tram, que é um trem elétrico que lembra um ônibus. O ticket para usa-lo por 24 horas saiu 3€25 (ou 5 francos). No entanto, nem havia conferência do ticket no trem. Imagina se no Brasil fosse assim hehehehe. O trem parava a 50m da fronteira. Apos atravessa-la, a pé, bastava andar mais 50m para chegar no hotel. Bastante pratico! Uma vez na França, o supermercado aceitava euros e deu pra usar o 3G do telefone liberado!

Perto das 19h, voltamos para Genebra. Caminhamos um pouco pelo centro. Visitamos o Grand Theatre, a Place Neuve, o conservatorio e o Mur des Reformateurs. Este ultimo foi inaugurado em 1909: antes de ser transformado em monumento, seus muros faziam parte da muralha da cidade. Os cidadãos ali retratados são figuras importantes da Reforma Protestante. A essa altura do passeio, ja era 21h; logo, voltamos ao lago para assistir aos fogos de artificio. E que espetaculo! Acho que fogos de artificio daqui para a frente nao terao mais graça… foram 50 minutos de show de luz e som, mas totalmente excelentes! Os melhores momentos aqui: http://www.youtube.com/watch?v=0VY1nX9KYk8

No outro dia, visitamos pela manhã o Palais des Nations, onde se situa a sede da ONU. Conhecemos também o museu Ariana, que fica no parque do mesmo nome. Em seguida, fui ao estadio de Genebra, para novamente bater com o nariz na porta: fechado. Ainda assim, foi possivel tirar umas boas fotos do estadio que sediou jogos da ultima Eurocopa. Depois do almoço, que foi pizza :D, fomos ver o show de avioes no lago. Seis avioes fizeram acrobacias e efeitos de fumaça durante uma hora, até que foi interessante (mas preferi os fogos).

Depois dos avioes, fui ao Jet d’Eau. O Jato é, eu acho, o ponto turistico mais famoso de Genebra. Segundo o Cassio, o jato sustenta 7 toneladas de agua quando ligado. Segundo a Cris, a altura do jato é de 140 metros. Quando ha vento, como no domingo, ele forma uma grande névoa sobre uma parte do lado. Sorte nossa que o vento não virou contra nos, senao o banho seria magistral. Por fim, visitei a Cathedrale Saint-Pierre, na Genebra antiga, mas sem antes tomar Guarana Antarctica, que encontrei na loja por 2 francos (algo em torno de 1€30). E é isso! No domingo, às 20h03, partimos para Annecy, mas isso ja é para outra postagem! Abraços!





Château de Busset

12 08 2009

Ola! Perdao pela falta de postagens… esses ultimos dias foram bastante movimentados. Viajei, no sabado, domingo e na segunda passados para Genebra e Annecy. Postarei mais tarde sobre essas duas belas cidades. Por enquanto, vamos a um pequeno resumo do que aconteceu nos ultimos dias:

A semana anterior foi bem tranquila. O unico passeio que fiz foi a visita ao Château de Busset, na sexta feira. O ca stelo, que fica a apenas 15 km de Vichy, é bem bonito. Visitamos ele à noite, logo, fotos nao muito boas. Visitamos o interior do castelo à luz de velas, o que foi bem legal. Este é o segundo maior castelo do departamento do Allier, mas é o maior que podemos visitar, ja que o maior é fechado para turistas. Sobre a historia do castelo nao tem muito o que falar: era um castelo de parentes bem proximos dos Bourbons, uma das familias reais mais importantes da historia da França. Visitamos até um quarto no qual o rei Henry V esteve, uma semana antes de ser coroado, em 1830.

Nao ha mais muito o que falar sobre essa ultima semana… o que posso dizer é que tenho feito bastante esporte por aqui, muito mais do que no Brasil! Descontando as caminhadas, faço todo dia 5 km de bicicleta (sendo que 1 km em subida), jogo vôlei duas vezes por semana, 1h30 cada vez. Esporadicamente, jogo ping pong no club de Monde, que fica perto do CAVILAM. Ja joguei também tênis uma vez aqui com a familia, esporte que gostei bastante, apesar de dar uma dor nos ombros e nos joelhos imensa. Ainda nao joguei futebol: eles até jogam aqui, mas como nao tenho tênis adequados, e nao pretendo gastar 70€ num tênis de futebol decente, ficarei praticando outros jogos mais incomuns.

A jogatina aqui em casa também continua: nunca mais apostei nos cavalos, mas ainda todo dia assisto às corridas na TV com o père. Toda noite, jogamos alguma coisa. Ja joguei varios jogos: UNO, xadrez chinês, Yamsi (jogo de dados meio sem graça pois depende mais da sorte, talvez meu irmao Matheus gostasse!). Joguei também um jogo parecido com pife, mas com 13 cartas, bizarro. E, para finalizar, ensinei o jogo de escova pra familia daqui, com direito ao uso do baralho espanhol, claro. Eles se perderam um pouco com o fato das cartas possuirem valores diferentes do que o marcado nela, mas ja pegaram os truques.

Bem, por hoje é so. Pretendo falar em alguns dias sobre Annecy e Genebra, ja que minha estadia aqui em Vichy esta chegando ao fim. Faltam 16 dias para Lille! Abraços!





Reta Final em Vichy

5 08 2009

Aqui em Vichy, as coisas ja começam a se encaminhar para o final da nossa estadia. Hoje ja é 5 de agosto, e daqui a 23 dias partirei para Lille, onde o sufoco realmente começa. Por enquanto, esta tudo bem aqui. O frio ainda não chegou, não faço provas, nem preciso entregar trabalhos, apenas fazer alguns temas de frances de vez em quando. Tenho a familia que faz quase tudo pra mim, e passeio quase todo final de semana.

A ultima semana que foi uma exceçao: era a ultima semana do mês, a bolsa ainda nao tinha chegado e nao sairam viagens. No entanto, dia 31 a bolsa chegou! Almoçamos sabado na Cafeteria, um restaurante bom e barato na Rue de Paris que possui um steak hache muito bom que se assemelha bastante à carne bovina. Depois, compramos passagens para Genebra, no dia 8. Eu e mais uns 15 brasileiros ficaremos dois dias na cidade suiça. No dia 10, iremos para Annecy, no leste da França. O retorno é na segunda à noite. Porém, no dia 7, irei ao Château de Busset, uma cidade aqui perto. Sera minha ultima visita a um castelo aqui em Vichy. Pretendo atualizar o Picasa bastante na semana seguinte!

O aprendizado da lingua vai indo muito bem! Ja compreendo quase tudo que os franceses falam, principalmente na televisao. Quando eles falam entre si ainda é um pouco dificil, mas entendo o contexto, em geral. Para falar ainda falo pouco, mas ja noto um bom progresso em relaçao ao estado que sai do Brasil. No CAVILAM, estou no nivel B1+(2), que é quase B2 ja! Acho que saio daqui com o B1 completo. Nos ateliers, a coisa nao vai tao bem. Ja é meu quarto atelier, pois ou eu nao gosto de um atelier, ou erram o meu nivel. Agora, faço Preparação aos Estudos Universitarios. Nao é tao legal, mas aprendo bastante coisa até.

As reuniões com a Egide estao acontecendo. Ja acertamos moradia em Lille, a viagem Vichy – Villeneuve d’Ascq (que sera via trem) e ja sei toda a programaçao da minha primeira semana na cidade na qual morarei por dois anos. Tenho uma lista de documentos que preciso preparar e e-mails para enviar, ja que conseguiremos alguns descontos e reembolsos que sao sagazes de aproveitar! No entanto, alguns gastos serao necessarios também: despesas na chegada, seguro de saude, etc… Talvez no primeiro mês em Lille nao seja possivel efetuar viagens ou gastar com muitas coisas. Bom, ja é quase dia 6 aqui. Vou terminando a postagem e aproveitar o que resta de tempo em Vichy. Abraços!