Londres

15 05 2010

Fui para Londres com o Club Time no dia 20 de março, uma semana apos meu aniversario, que foi comemorado na casa do Gezério e da Bruna (com direito a feijoada e pôquer). Essa viagem começou praticamente um dia antes, no dia 19, apos um jogo lendario de pôquer na sala do Club Time, aqui na residência : 10 jogadores na mesma mesa, apenas um vencedor, meu parrain, Jéferson. O jogo terminou la pelas 2 da manhã, e a viagem começava às 6h, logo, la pelas 5h eu ja estava de pé.

Saimos da residência então rumo ao Norte, à Calais. Por volta de 9h, estavamos em Calais, onde passamos pelo controle de fronteira e pegamos o barco rumo à Inglaterra. A viagem no barco durava em torno de 1h30, e foi muito boa para esticar as pernas e aproveitar para ver as falésias que defendem à ilha inglesa. As 9h30 (-1 hora de mudança de horario) retomavamos a estrada ja dirigindo pela esquerda (ao modo inglês), para chegar em Londres por volta de 11h30.

Como essa viagem foi uma viagem de apenas um dia, e o trajeto em si até a Inglaterra não é nada curto, se feito de ônibus, não foi possivel aproveitar muita coisa em termos turisticos. Londres, assim como Paris, Berlim e Roma, exigem algo em torno de 3 a 4 dias de estadia para se ter uma noção mais precisa da cidade. Assim, segui o roteiro da Mlle. Catsiapis, que começava no Palacio de Buckingham. Almoçamos ali perto em um McDonalds e fomos para a National Gallery.

A National Gallery é uma galeria de quadros gratuita ao publico no coração de Londres. Situada na Trafalgar Square, ela abriga uma das mais importantes coleções de arte do mundo. Isso é uma coisa legal na Inglaterra, a maioria dos museus de arte são gratuitos, ao contrario da França, onde às vezes é preciso pagar pois, mesmo sendo estudante, não somos cidadãos europeus. Sobre a galeria, normalmente eu deveria encontrar la a segunda versão de ‘A Virgem dos Rochedos’, de Leonardo da Vinci (a primeira eu vi no Louvre). Ficara para uma proxima.

Seguimos então para o British Museum, outro museu gratuito de Londres. Neste museu, encontrei a pedra egipcia usada no século XIX para tradução dos hieroglifos egipcios. La, tambem vi os frisos do Partenon grego, até hoje reclamados pelo governo deste pais contra os britânicos. Depois, fomos para a Harrods, loja de luxo inglesa, conhecida por seus artigos caros e futeis. La, quase ganhamos um “lanche” da Mlle. Catsiapis, algo que sairia umas 25£. Infelizmente, não havia mais disponibilidade do que ela queria, e então seguimos explorando a loja, e não comprando nada, obviamente.

Em seguida, demos uma volta de ônibus pela cidade, passando pela Tower of London e a Tower Bridge. Na volta, mais uma viagem de 5 horas, embora desta vez voltamos de trem por baixo do Canal da Mancha, ao invés de voltar de barco. La por volta de 1h30 chegamos finalmente à residência, exaustos apos o cansativo dia.

Anúncios