Tratamento VIP na França e no Brasil

26 07 2010

Ja estou digitando do Brasil, enquanto minha mãe cozinha um delicioso feijão para o almoço. Ja estou em terras gauchas ha 10 dias, e so agora venho atualizar este humilde blog. Os ultimos dias na França antes do retorno ao Brasil foram muito sagazes! A começar pela estadia em Vichy : fiquei três dias com a mesma familia que me acolheu ano passado, de graça ! A familia e a casa continuam as mesmas. Cheguei em Vichy no dia 10 e meus “pais franceses” estavam me esperando na estação, para que fossemos até em casa, onde colocamos as conversas em dia. No dia seguinte, almoço de familia com os pais da minha mère, com direito a jogo de pôquer vencido por mim!

Para não perder o costume, fomos ao bar apostar na corrida de cavalos da tarde… perdemos os três, eu, o père e seu sogro… No domingo ainda, encontrei o pessoal brasileiro de Vichy num bar perto da gare, onde assistimos à final da Copa do Mundo, entre Espanha e Holanda. Jogo violento e meio sem graça, mas que acabou com vitoria merecida da Espanha. Pelo menos o pessoal pareceu ser bacana, estão se adaptando bem com Vichy e com a França em geral.

Na segunda, fomos eu e mais cinco brasileiros almoçar na Cafeteria de Paris, um restaurante em Vichy que iamos com frequência quando o almoço no CAVILAM não estava la essas coisas. Voltei para casa apos o almoço (e a chuvarada, que começou a me perseguir aqui), onde descansei à tarde e reencontrei a familia de noite, para uma janta sagaz e um jogo de Uno desta vez, vencido por mim de novo!

Terça foi o dia de se despedir de Vichy. Fui para Paris, passando na Ecole Centrale para trocar a mala. As 18h, tinhamos o jantar com a professora Catsiapis. Fomos eu, o Jéferson, e dois chineses que se anexaram de ultima hora. O jantar foi na Closerie de Lilas, um restaurante no 6eme arrondisement que ja foi visitado por Ronaldo, Joseph Blatter, principes e princesas de Luxemburgo, Bélgica, etc., Roger Waters, entre outras figuras que eu não conheço. A bagatela de aproximadamente 60€ por pessoa foi paga por nossa simpatica professora, que nos convidou… os pratos do restaurante eram muito bons, claro : uma entrada de melões com um tipo de presunto bem bom, seguido de um prato de batatas no forno com rumsteak, e como sobremesa, um profiterole magnifico.

Depois da janta, fui para o apartamento dos veteranos que estão estagiando em Paris. Na manhã seguinte, eu e o Christian fomos para os Champs-Elysées atrasados, para assistir o desfile militar do 14 de julho. Por chegar atrasado entende-se poder ver apenas os capacetes das pessoas que desfilam. Para completar, uma chuva assolou o desfile logo apos o seu inicio, e as pessoas trancadas na estação de metrô ficando sem saida para escapar do temporal. Quando eu e o Christian conseguimos entrar no metrô, ficamos dando voltas até a chuva parar…

No final da tarde, eu, Jéferson, Liba e Steil começamos a planejar o roteiro para os fogos de artificio na Torre Eiffel, que ocorriam às 23h. Apos passar no Starbucks e no McDonalds, caminhamos da Praça da Concorde até a casa da Julia e do Biller, perto da torre, onde encontramos ainda o Macho e sua namorada para assistirmos aos fogos mais tarde. Conseguimos um bom lugar no Champ de Mars para o espetaculo, acompanhados do pessoal da Centrale Marseille. Os fogos foram bem interessantes, mas no total foram apenas 30 minutos de show. Para voltar pra casa, um metrô entupido de gente, e a chuva voltou para atormentar e nos atrapalhar enquanto tentavamos retornar…

Meu ultimo dia de França começou com uma caminhada de Notre-Dame até os Champs-Elysées, onde fui comprando lembranças pro pessoal do Brasil. Pela tarde, fui para a Centrale Paris buscar minhas ultimas coisas com o Cassio e o Luciano, e também para aproveitar e jogar umas partidinhas de tênis. No aeroporto, nenhum problema durante o retorno… voo de Paris até o Rio com duração de 11 horas, depois uma espera de 5 horas no Rio para as ultimas duas horas até Porto Alegre.

Em Porto Alegre, ja fui esperado pela minha familia com um churrasco! Na sexta-feira, revi além dos meus pais e do meu irmão, meus avos, minha dinda e minhas primas… no sabado, festa surpresa na casa da dinda, cheia de doces e salgados que são dificeis de encontrar na França. No domingo, fiquei em casa, sendo visitado pelo tio Joaquim e pela tia Madalena…

Segunda-feira, segundo churrasco, pelos colegas da UFRGS, na casa do Japa. Churrasco que foi até as 5 da manha! Na quinta eu retornei ao futebol, apos mais de um ano sem jogar de goleiro no futebol de salão. Algumas cãibras e frangos, mas que foram reparados no sabado, apos vitoria massacrante de 11 a 4 com 100% de aproveitamento nas saidas de bola.

Na sexta fomos ainda festejar o aniversario do Tyron na sua casa, que contou com otimas lasanhas preparadas pelos anfitriões. Sabado eu almocei em um restaurante que servia churrasco no buffet (terceiro) e no domingo churrascaria para o aniversario do Vinicius (quarto churrasco). A meta são dez churrascos, logo, tenho duas semanas para mais seis assados (acho que sera dificil, mas quem sabe?)

Anúncios




Nomadismo na França

11 07 2010

Agora que finalment as aulas acabaram, no dia 8, apos as minhas duas recuperações (uma eu acho que fui bem, a outra… é, talvez vai ficar pra refazer a prova ano que vem), comecei um periodo nômade-sem-residência-fixa na França. No dia 8 mesmo, arrumei rapidamente minhas malas e fui para a casa do Christian, do Yuri e do Joia, lugar onde ja tenho passado um terço do meu tempo graças aos artefatos de entretenimento que la existem (Guitar Hero, Playstation 3, Wii, etc). Passei minha ultima noite em Lille la.

No dia 9, sai ao meio dia para a gare central de Lille, para pegar o TGV que ia até Paris. Chegando em Paris, com duas malas mais uma sacola de queijos fedorentos, pego o RER, trem que leva uma eternidade para chegar até a Ecole Centrale de Paris, onde eu iria passar a proxima noite. Felizmente o Cassio e o Luciano vieram me encontrar na estação do RER, para me ajudar a levar as malas para a residência. Eu havia prometido aos guris que iria à Paris para jogar tênis com eles, então la fomos nos, jogar tênis nas excelentes quadras da Centrale (não é ironia, são 564515846 vezes melhores que as quadras de Lille). Um francês se juntou a nos, então fizemos um match de duplas, eu e Cassio contra Luciano e o francês. Duplo 6-4 a nosso favor em mais ou menos uma hora e meia de jogo. Bem cansativo!

Em seguida, fomos para Paris, onde o Joia estava matando tempo para pegar seu voo para o Brasil. Chegamos num bar no 12° distrito, perto da casa onde o Jeferson, o Liba e o Steil estão morando, graças aos seus estagios na capital. Ainda estavam la alguns amigos do Joia, logo se reuniu uma cambada de brasileiros na mesa do bar. Depois, eu, Cassio e Luciano voltamos para a Ecole apos jantar num Quick (similar do McDonalds na França).

No dia 10, peguei o trem na Gare de Lyon em Paris para vir para Vichy, onde eu estou agora. Fui recebido na gare de Vichy pela minha familia que me acolheu ano passado, e que me convidou para passar uns dias aqui. Estou me sentindo em casa! Agora finalmente parece que estou tendo férias. E o fato de estar sendo bem acolhido aqui também faz diminuir a ansiedade da volta para o Brasil no final da semana que vem. Bem, fico aqui em Vichy até o dia 13, quando volto para Paris.

Ja tenho um jantar marcado em Paris com a Prof. Catsiapis, que é nossa professora de francês na Ecole e que nos ajuda bastante com o Club TIME (do qual sou presidente). Nesse jantar o Jeferson estara também (ex-tesoureiro da associação). Dia 14, estarei ainda em Paris, assistindo às comemorações do 14 de julho, feriado nacional relativo à Revolução Francesa. Neste dia, em Paris, havera um desfile militar na Champs-Elysées pela manha e uma queima de fogos de artificio de noite, provavelmente no Champ de Mars, em frente à Torre Eiffel.

No dia 15, ainda dou uma passeada em Paris antes de ir para o aeroporto Charles de Gaulle, onde pego meu voo para o Brasil às 23:30 (hora local). E bom, essa deve ser minha ultima postagem em solo francês antes da volta para o Brasil. Até breve!





Até mais, Vichy

31 08 2009

Finalmente me despedi de Vichy. Esta ultima semana de “férias” começou, na segunda-feira, com uma ida ao ginásio de Vichy para assistir um jogo amistoso de vôlei entre o Brasil e a França (o jogo era valido como preparação para o mundial sub 18). O Brasil deu um baile: 3 a 0. Parece que o time brasileiro é um dos favoritos ao campeonato… já os franceses… désolé hehehe. Tiramos fotos e conversamos com os jogadores, que provavelmente estarão em alguns anos na seleção principal! Eles ficaram bem contentes com a torcida, já que havia uns 20 brasileiros no ginásio.

Falando em vôlei, terça foi meu ultimo dia de jogar vôlei no ginásio de Vichy: 7 partidas, 7 vitorias, junto à panela invencível :D. Quarta foi a festinha de despedida da turma de aula do CAVILAM, que foi no Tahiti Plage: tive que pagar bebida para um chinês pois perdemos o jogo de perguntas e respostas na aula! Quinta feira, ocorreu a despedida brasileira na praia. Mais de 30 brasileiros estavam la quando fui embora, e fiquei sabendo que houveram mais brasileiros ainda que apareceram pro resto da noite. Na sexta de manha, finalmente foi o dia da partida: às 9h15 partimos rumo à Lille, eu, a Cris, o Yuri, o Thiago, o Joia, três chineses e um russo, com um ônibus somente pra gente! =)

Com certeza me lembrarei por muito tempo destes dois meses de Vichy. Fiz muitos bons amigos aqui que agora irão para outras écoles, brasileiros e estrangeiros. Com certeza devo visitar Paris, para cantar umas musicas gauchas com o Luciano, falar de futebol com o Cassio, conversar com a Débora e a Isabela, encontrar o chato do Micael, ver como vão as coisas com o Pablo, o Jocimar e o Matheus. Em seguida, posso ir à Lyon, onde estarão os palmeirenses Sérgio e Willian, a Larinha, torcedora sofredora do Vitoria, e a carioca Adriana.

Se eu quiser me enveredar pelo oeste, posso parar em Nantes, onde com certeza posso encontrar a querida da Ju, o dançarino da Poli, Adrian e o carioca do cérebro grande, Ricardo. E, é claro, quando eu quiser visitar as praias do sul e o frio do Norrrrrd apertar, passarei por Marseille, onde estará estudando Monsieur Foppa, a gaucha com sotaque mais distorcido que existe, Viviane, a carioca funkeira Alessandra, e as figuras Joaquim e Antônio.

Claro que não posso esquecer os estrangeiros: sei que eles provavelmente não lerão isso, e se lerem não entenderão, mas ainda assim quero falar deles. Em primeiro lugar, da minha querida Irma chinesa, a Xin. Ela até chorou quando fui embora. Com certeza visitarei-a em Nantes, junto com o Vladimir, grande russo que já é até colorado! Tem ainda o meu irmão alemão, Paul, que é meio chato na verdade, mas que posso visitar caso eu queira conhecer a região próxima a Ulm, na Alemanha. Não posso me esquecer dos mexicanos, o Martin, o Edgar, a Lucero e o Omar, que cada dia me cumprimentava com um palavrão em português. Falando em palavrões, tinha o Asiz, grande figura dos Emirados Arabes que já sabia mais palavrões em português do que eu. Houve ainda as colegas suíças, Jelena, Domenica e Lynn, sempre curiosas sobre a vida no Brasil, e que visitarei la na longinque Lucerna, na Suiça. Outros que acho que não visitarei por ser um pouco mais difícil, são os chineses Weihan e Weidja, que foram meus colegas, pessoas muito legais!

Não posso me esquecer, é claro, da minha família de accueil. Apesar de minha mère ter estragado minha camiseta do Guiñazu que ganhei da minha dinda, ainda assim eles foram uma família muito boa. Jean-François, meu père francês, sempre fanático por seus jogos de cavalos, e gostava muito de falar de esportes (ele tirava sarro que a França ganhara a final de 98 e eu que o Brasil tinha 4 mundiais a mais ainda que a França). Minha mère, Beatrice, que sempre tentava fazer as comidas que eu gostava, e que sempre estava disposta para conversar comigo e me ajudar com o francês. Meus frères, Morgan e Romain, com os quais não convivi muito pois eles passaram boa parte do verão passeando, mas mesmo assim sempre foram legais e pacientes com meu francês em desenvolvimento.

Agora uma nova etapa começa. Este post foi digitado do ônibus no qual estou me dirigindo para Lille. Espero encontrar la pessoas legais como as que conheci la em Vichy. Espero nunca perder contato com esse povo todo. Bom, agora é muito trabalho, alguns passeios e rumo ao duplo-diploma! Abraço!





Château de Busset

12 08 2009

Ola! Perdao pela falta de postagens… esses ultimos dias foram bastante movimentados. Viajei, no sabado, domingo e na segunda passados para Genebra e Annecy. Postarei mais tarde sobre essas duas belas cidades. Por enquanto, vamos a um pequeno resumo do que aconteceu nos ultimos dias:

A semana anterior foi bem tranquila. O unico passeio que fiz foi a visita ao Château de Busset, na sexta feira. O ca stelo, que fica a apenas 15 km de Vichy, é bem bonito. Visitamos ele à noite, logo, fotos nao muito boas. Visitamos o interior do castelo à luz de velas, o que foi bem legal. Este é o segundo maior castelo do departamento do Allier, mas é o maior que podemos visitar, ja que o maior é fechado para turistas. Sobre a historia do castelo nao tem muito o que falar: era um castelo de parentes bem proximos dos Bourbons, uma das familias reais mais importantes da historia da França. Visitamos até um quarto no qual o rei Henry V esteve, uma semana antes de ser coroado, em 1830.

Nao ha mais muito o que falar sobre essa ultima semana… o que posso dizer é que tenho feito bastante esporte por aqui, muito mais do que no Brasil! Descontando as caminhadas, faço todo dia 5 km de bicicleta (sendo que 1 km em subida), jogo vôlei duas vezes por semana, 1h30 cada vez. Esporadicamente, jogo ping pong no club de Monde, que fica perto do CAVILAM. Ja joguei também tênis uma vez aqui com a familia, esporte que gostei bastante, apesar de dar uma dor nos ombros e nos joelhos imensa. Ainda nao joguei futebol: eles até jogam aqui, mas como nao tenho tênis adequados, e nao pretendo gastar 70€ num tênis de futebol decente, ficarei praticando outros jogos mais incomuns.

A jogatina aqui em casa também continua: nunca mais apostei nos cavalos, mas ainda todo dia assisto às corridas na TV com o père. Toda noite, jogamos alguma coisa. Ja joguei varios jogos: UNO, xadrez chinês, Yamsi (jogo de dados meio sem graça pois depende mais da sorte, talvez meu irmao Matheus gostasse!). Joguei também um jogo parecido com pife, mas com 13 cartas, bizarro. E, para finalizar, ensinei o jogo de escova pra familia daqui, com direito ao uso do baralho espanhol, claro. Eles se perderam um pouco com o fato das cartas possuirem valores diferentes do que o marcado nela, mas ja pegaram os truques.

Bem, por hoje é so. Pretendo falar em alguns dias sobre Annecy e Genebra, ja que minha estadia aqui em Vichy esta chegando ao fim. Faltam 16 dias para Lille! Abraços!





Reta Final em Vichy

5 08 2009

Aqui em Vichy, as coisas ja começam a se encaminhar para o final da nossa estadia. Hoje ja é 5 de agosto, e daqui a 23 dias partirei para Lille, onde o sufoco realmente começa. Por enquanto, esta tudo bem aqui. O frio ainda não chegou, não faço provas, nem preciso entregar trabalhos, apenas fazer alguns temas de frances de vez em quando. Tenho a familia que faz quase tudo pra mim, e passeio quase todo final de semana.

A ultima semana que foi uma exceçao: era a ultima semana do mês, a bolsa ainda nao tinha chegado e nao sairam viagens. No entanto, dia 31 a bolsa chegou! Almoçamos sabado na Cafeteria, um restaurante bom e barato na Rue de Paris que possui um steak hache muito bom que se assemelha bastante à carne bovina. Depois, compramos passagens para Genebra, no dia 8. Eu e mais uns 15 brasileiros ficaremos dois dias na cidade suiça. No dia 10, iremos para Annecy, no leste da França. O retorno é na segunda à noite. Porém, no dia 7, irei ao Château de Busset, uma cidade aqui perto. Sera minha ultima visita a um castelo aqui em Vichy. Pretendo atualizar o Picasa bastante na semana seguinte!

O aprendizado da lingua vai indo muito bem! Ja compreendo quase tudo que os franceses falam, principalmente na televisao. Quando eles falam entre si ainda é um pouco dificil, mas entendo o contexto, em geral. Para falar ainda falo pouco, mas ja noto um bom progresso em relaçao ao estado que sai do Brasil. No CAVILAM, estou no nivel B1+(2), que é quase B2 ja! Acho que saio daqui com o B1 completo. Nos ateliers, a coisa nao vai tao bem. Ja é meu quarto atelier, pois ou eu nao gosto de um atelier, ou erram o meu nivel. Agora, faço Preparação aos Estudos Universitarios. Nao é tao legal, mas aprendo bastante coisa até.

As reuniões com a Egide estao acontecendo. Ja acertamos moradia em Lille, a viagem Vichy – Villeneuve d’Ascq (que sera via trem) e ja sei toda a programaçao da minha primeira semana na cidade na qual morarei por dois anos. Tenho uma lista de documentos que preciso preparar e e-mails para enviar, ja que conseguiremos alguns descontos e reembolsos que sao sagazes de aproveitar! No entanto, alguns gastos serao necessarios também: despesas na chegada, seguro de saude, etc… Talvez no primeiro mês em Lille nao seja possivel efetuar viagens ou gastar com muitas coisas. Bom, ja é quase dia 6 aqui. Vou terminando a postagem e aproveitar o que resta de tempo em Vichy. Abraços!





Château de Billy e a semana em Vichy

26 07 2009

Ola a todos! Esta foi uma semana bastante movimentada por aqui. Passei quase toda a semana na função de comprar um celular. Não era minha intençao inicial, mas acabou se fazendo necessaria pois sera importante por aqui ter um modo de se comunicar com os demais. Infelizmente, se eu recebo alguma ligaçao internacional, eu saio marchando com 1€40/min, um absurdo. Enfim, tenho skype, msn e email para contatos com o outro lado do Atlantico, ainda bem =)

Na quarta-feira, fui ao hipodromo novamente, com a minha familia. Era um dia importante, haveria o Grand Prix du Auvergne. Estava presente, inclusive, o prefeito de Vichy. Ao todo, eram sete corridas. Joguei 2€ em três corridas, perdendo ao todo 6€. Menos que meu père, que perdeu uns 60€. Mas valeu, já que eu não paguei a entrada, que era 7€, e também pelos fogos de artificio após as corridas. Durante 15 minutos, assistimos ao espetaculo, realmente muito bonito. Chegamos em casa a 1h da manha, mesmo saindo do hipodromo à 0h20. Sim, existem engarrafamentos em Vichy, mas desta vez foi porque o hipodromo estava bem lotado.

Na sexta-feira, fui ao Château de Billy. Este castelo é uma fortaleza defensiva construida no século XII, pelos Bourbons, para defender a regiao. No entanto, hoje so restam ruinas, já que o castelo foi severamente atacado ao longo dos anos, principalmente no século XVI, quando, numa guerra entre catolicos e protestantes na França, um rombo memoravel foi aberto à esquerda, e persiste la até hoje. Gostei muito da visita à fortaleza, mais do que o Chateau da semana passada. Foi muito legal entender como funcionava uma fortaleza na baixa idade média, o trabalho dos arqueiros nas ameias e nas frestas inferiores, as prisoes, silos e patios. Vi ainda uma maquete do castelo no seu auge, no século XIV. Algumas fotos já estao no Picasa, e em breve pretendo colocar mais algumas;

No sabado, sai com os brasileiros por Vichy. Nada de mais, no entanto, fizemos um piquenique no parque, tentamos jogar frisbee com uma tampinha de Pringles e ficamos ouvindo musica, já que o Luciano levou seu violao. Hoje, domingo, fiquei em casa. De manha, fomos ao Bar Dernière, onde meu père faz suas apostas. Ganhei uma coca cola do amigo dele que paga bebidas pra ele às vezes. Almocei risoto com salsichao, apenas com a mère e o père, já que o resto do pessoal não estava em casa. O almoço estava bem bom. Assistimos às corridas de cavalos, Formula 1 e Tour de France após a refeiçao. Depois, jogamos damas chinesas, Yamsi e um jogo estranho que parece pife. Aqui em casa é quase um cassino :D. Mas valeu a pena, hoje deu pra praticar bastante o frances! Bom, e por hoje é so! Abraços!





14 juillet e Château de Lapalisse

19 07 2009

Esta semana foi bem tranquila aqui em Vichy. Nas segundas, so tenho aula à tarde, logo, caminhamos por Vichy atras de celulares (e eu ainda nao sei se compro um ou nao) e fomos para a aula de tarde. As aulas aqui acabam as 15h30 (16h00 nas segundas), e geralmente volto para casa cedo (no maximo às 19h) para tentar sempre jantar com a familia, que é quando eu mais aprendo francês.

Terça foi feriado nacional. 14 de julho é o dia da festa pela Revolução Francesa, que é sempre intensamente comemorada por estes lados. O CAVILAM organizou um piquenique, que a principio seria no parque, mas foi no Club du Monde, já que havia chovido na madrugada anterior. Gostei do lugar, principalmente pela mesa de ping pong! Ganhei até de um chinês! De noite, foi a hora dos fogos de artificio de Vichy, que eu assisti de casa, já que moro num lugar alto e era bem bom pra enxergar a festa la na beira do rio.

Quarta-feira compramos, na Gare, a passagem para ir a Clermont Ferrand (que sera abordada em outra postagem). Na sexta-feira, visitamos o Château de Lapalisse (na verdade, Lapalisse é o nome da cidade, porque o castelo se chama “Château de La Palice”. De qualquer forma, foram 10€ bem gastos, apesar de que eu esperava um pouco mais. Espero encontrar um castelo mais “bélico” em Billy, que irei na semana que vem. O Château de Lapalisse é mais uma casa grande, com belas salas, se assemelhando de certa forma a um museu. Não era possivel tirar fotos la dentro. Havia bastante objetos relacionados à historia da familia que é dona do castelo à 600 anos. As fotos já estao no Picasa.

A semana terminou com a visita a Clermont Ferrand (que merece um post único, embora as fotos também já estejam no Picasa) e hoje, domingo, estou passando o dia em casa. De manha, fui na casa de apostas com o père, já que ele ia buscar 500€ que ganhou ontem na corrida de cavalos. Já aproveitei e fiz uma aposta rapida, apenas 2€. A corrida já aconteceu, e eu acertei 4 cavalos em 5, fora da ordem (o quinto cavalo ficou em sexto, quase ganhei uns 50€). Segundo o père, 4 cavalos em 5 deve dar uns 5€, mas ainda não saiu o resultado dos prêmios. Ah, e hoje a chinesa que mora comigo fez um almoço chinês. Não é de todo ruim, até gostei, pois tinha carne, mas os temperos são um pouco fortes. E claro, comi com os palitinhos chineses, que eles chamam aqui de baguettes, como os pães!