Calmaria… ou não

23 03 2010

Interrompendo a série de postagens sobre a viagem de inverno (alias, eu não termino essa série antes de começar mais uma viagem… lamentavel) para dar uma atualizada de como anda a vida por aqui. Estou numa semana razoavelmente tranquila de aula, a mais leve desde que começou o semestre, em fevereiro. Essa semana antecede a ultima semana de aulas antes das férias de primavera, que vão de 3 à 18 de abril. Nessas férias, viajarei na primeira semana para o centro-leste europeu, mais especificamente Praga, Budapeste e Viena (Rep. Tcheca, Hungria e Austria).

Por aqui, eu cada vez chego mais a conclusão de que franceses enrolam demais. Me explico: ja devo ter falado do Projeto de 2 anos aqui, que em teoria é muito interessante e deveria ser bastante importante pra nos… então, estamos com mais de 6 meses de projeto, e até agora nada pratico feito. Apenas relatorios, e diagramas, e apresentações, e anfiteatros de projeto que eu nem vou mais, de tão inuteis que são. Lembro de uma citação do Yuri esses dias, quando ele observou uns engenheiros na rua conversando… “certo que esses caras estavam discutindo algo que não levara a lugar nenhum”… este é o modo francês de trabalhar, e a principio não deveria ser questionado.

Na école, temos agora as campanhas do BDX, que são espécies de Grêmios Estudantis de Artes, Alunos e Esportes. A campanha do BdA (Bureau des Arts) ja terminou, e agora estamos em campanha de BdE (Bureau des Eleves), da qual participam por uma chapa a Tati e a Thais. A campanha acaba sendo uma das coisas mais legais nesta école, pois quase todo dia temos lanches de graça, jantas e almoços por preços irrisorios, ja tive café da manha de graça na porta da minha casa, jogo de laser game gratuito, entre outras mordomias, tudo promovido pelas listas para angariar votos.

Por outro lado, temos as aulas. Anfiteatros me desanimam, e desanimam também boa parte dos franceses. Um anfiteatro às 8 da manhã raramente excede 50% de presença, enquanto os anfiteatros apos o almoço costumam ter uma platéia mais concentrada na sestia do que na aula em si. Os TDs, que deveriam ser a aula do modo como estamos acostumados mas não são, variam em questão de suportabilidade: eu não falto pois eles contam presença; porém, alguns são lastimaveis… como os professores nunca são os mesmos, é sempre uma loteria saber se o TD sera bom ou não.

Finalmente, temos os TPs… esses o fator loteria é maior ainda. O aluno é obrigado a ir. Isso ja aumenta o grau de suspense em relação ao TP (TPs são como aulas em laboratorio). Alguns, como o de Fabricação Mecânica, excedem as expectativas: sexta passada, fabriquei minha primeira peça num torno mecânico. Mas sempre existem TPs lamentaveis, como os de Dimensionamento de Sistemas, e ainda as maravilhosas APPs, que são aulas sem professor: o aluno, junto com seu grupo, deve esperar que o conhecimento brote do nada e espera que a prova no final seja simples.

Acaba que eu chego em casa tão desanimado em relação às aulas que tive que eu acabo não estudando nada em casa e perco meu tempo lendo noticias na Internet, jogando, assistindo séries, ouvindo musica ou meramente arrumando a casa. Por esse motivo, aquela sensação de culpa me persegue dia apos dia, como se eu sempre estivesse atrasado em relação à alguma coisa relacionada à Ecole. Se eu fico um dia sem fazer nada, não deixo de lembrar que poderia estar fazendo algo mais importante (ou não, não consigo ver como o estado atual do projeto seria importante… enfim).

Depois das férias, terei todas as manhãs das quartas livres devido ao fato de a minha eletiva acabar antes. Porém, tenho ainda um relatorio de estagio pra escrever, em francês, mais ou menos 30 paginas, cujo conteudo sera com certeza algo tão inutil quanto as apresentações de projeto que estamos fazendo. No entanto, as semanas serão bastante carregadas de aulas, e ja consigo prever a carga de matérias se acumulando no final do semestre, la pela metade de junho, quando nossas provas começam…

E quando as provas passarem, vira a semana de recuperação. Provavelmente terei que recuperar Phénomènes de Transfert, que fiquei com 7 sobre 20. Essa nota me passa, porém eu preciso tirar no minimo 13 numa outra matéria do mesmo bloco, o que é bem complicado. Outra nota que saiu foi Génie Eléctrique: 11,5 sobre 20. Depois da semana de recuperação, fico ainda uma semana na França, provavelmente em Vichy e em Paris. No dia 15 de julho, pela noite, estou embarcando pro Brasil, e fico la até dia 9 de agosto. E tera passado então quase 14 meses desde que sai do Brasil pela primeira vez.

Anúncios

Ações

Informação

7 responses

23 03 2010
Gandon

Bá, boa sorte ae!

E sei bem qual é essa sensação de “culpa” que tu falou! =/

23 03 2010
ernani

e ai cara,
venho acompanhando teu blog a bastante tempo
parabéns, tá muito bom

eu já tinha ouvido falar sobre a infantilidade dos alunos franceses, que tu comentastes a uns meses atrás, e sobre a matação de aula tbm.

eu não acho errado matar aula, pelo contrário, eu acho até uma iniciativa corajosa e ousada pq o cara fica um pouco desconfortável sabendo que vai ter que aprender sozinho, mas é melhor do que ficar indo só por inércia. Se a aula não vale a pena é a melhor escolha.

tudo isto me estranha um pouco pq eu achava q na França, país de primeiro mundo e coisa e tal, estes “problemas” não existissem. não deixa de se uma baita falha no sistema (matrix =) )o fato de exitir aula e ela ser ruim ao ponto de o cara não ir.

gostei da tua sinceridade ao tratar destes assuntos pq o cara pode ficar meio “bêbado” achando que ai é tudo perfeitinho e tal, mas no fundo tbm tem suas falhas.

opa
acho q escrevi demais
até a vista cara, fico aqui no aguarde da eiffel que não sai nunca
abraço

23 03 2010
Bruno

Vlw ae pelo comentario Ernani!
eioaheioaheoa se analisar com calma, tu percebe que o método de ensino deles aqui é bem arcaico
mas parece que no final da certo que qualquer forma… se não desse certo, teriam mudado ha mais tempo
talvez até faça parte do “método” tomar a decisão correta em relaçao a matar ou nao uma aula, e a ter que se virar um pouco sozinho
mas é desconfortavel pra quem nao esta acostumado, como a gente

Boa sorte ae com a Eiffel!
Abraço

24 03 2010
Cassol

Também sei bem o que é estar desanimado com aulas ruins…

Enfim, paciência ae, tu consegues!

24 03 2010
Luhan

Um grande [2] pro paragrafo inteiro que tu diz que acaba chegando em casa desanimado com as aulas, é exatamente igual aqui pra mim.

24 03 2010
Dartagna

Fala colorado! Não desanima, porque logo, logo vai estar aqui conosco e vamos te encher tanto o saco que irá querer voltar pra rotineira vida aí na França! Abraços e beijos de que TE AMA MUITÃO.

24 03 2010
Arthur

Todo mundo que já chegou no mínimo na sétima série sabe o que é ter aulas chatas né :D

Mas ao menos a gente se ilude de que, na faculdade que vocÊ gosta, vc vai gostar de pelo menos alguma aula. Tá difícil aí, então, hein?

Mas enfim, boa sorte cara. Saudades de ter ver mais online!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: