Munique e Zurique

23 01 2010

Do campo de concentração de Sachsenhausen, fomos direto para a Hauptbanhhof em Berlim para pegar o trem para Munique às 14h58. Chegando la, surpresa agradavel : o trem fora cancelado ! Apos uma hora sem fazer nada na gare, e uma certa incerteza sobre qual trem pegar, embarcamos num trem que ia direto pra Munique, mas que so chegaria por volta das 22h da noite. Esta viagem foi interessante : um casal de alemães sentou do nosso lado e começou a puxar assunto. Detalhe : eles so falavam alemão. Foi a maior conversa por meio de gestos que ja participei ! Foi uma experiência interessante. Um tempo depois, todos ja dormindo nos seus respectivos assentos, passa a moça responsavel por checar os bilhetes… e eis que o Luciano não acha seu passe. Se ele não tivesse com o passe, deveria, além de pagar uma multa salgada, descer do trem na proxima estação. Depois de todo um sermão sobre a desorganização do Luciano (ele ja havia perdido 50€ no inicio da viagem), ele achou o passe num bolso da mochila.

Chegando em Munique, fomos direto para o albergue, devido à hora. No albergue, encontrei sem ter combinado coisa nenhuma o Ezequiel, veterano meu daqui de Lille. Coincidência absurda ! Ele e a namorada estavam vindo de Berlim naquele dia também, mas vieram de avião e por coincidência estavam no mesmo albergue que nos. Bem, sobre o albergue… ele era meio estranho… tinha um bar legal (no subsolo), com direito a Wii de graça… mas os quartos e os banheiros meio que deixavam a desejar…

Buenas, no outro dia acordamos cedo e fomos conhecer a cidade… primeira parada, Deutsches Museum, um museu de tecnologia simplesmente gigantesco… deve ser um dos melhores do mundo do assunto… a seção de petroleo, de maquinas e de aeronautica são simplesmente incriveis. A parte de fisica eu achei meio bobinha, os experimentos meio que de 7ª série… mas mesmo assim os modicos 3€ de entrada valeram muito a pena! Apos o Deutsches Museum, nos separamos: enquanto eu e o Luciano iriamos visitar a Allianz Arena, o Proença, a Bruna e o Micael continuariam no museu e iriam procurar um lugar pra almoçar.

Eu e o Luciano partimos para a Arena em cima do laço, precisando chegar la antes das 13h para poder fazer o tour em inglês. Todos os outros horarios eram em alemão. Descemos do metrô na estação da Arena por volta das 12h45, o que rendeu uma correria desenfreada até o estadio. Alguns minutos depois, estavamos dentro, mas faltava achar o local onde começava o tour. Chegamos no local às 12h58, mas infelizmente os ingressos do tour em inglês tinham acabado… azar, fazemos o tour em alemão mesmo!

O tour tem duração de 1h15, e consiste numa volta por dentro do estadio de mais ou menos uns vinte minutos, com explicações sobre a historia do estadio (eu acho). Depois, prosseguimos para a parte interna, para visitar setor de imprensa, camarotes, vestiarios da equipe local e visitante, bar, sala de aquecimento antes dos jogos, etc. A visita é bem interessante: teria sido mais se pudessemos compreender o que a guia falava… importante que essa visita me motivou bastante para fazer um curso de alemão algum dia… talvez na volta pro Brasil, ou procurar um estagio na Alemanha no ano que vem… isso ainda precisa ser analisado.

Na noite deste dia e também na manha do dia seguinte, bastou visitar pontos turisticos da cidade… Marienplatz (praça da prefeitura), Odeonplatz, Residência Real, Walking Man (um boneco de 17m de altura que o guia Michelin não explicava qual o objetivo), Siegestor (porta da cidade), Hofbrauhaus (cervejaria fundada no século XVI), entre outros. Enfim, partimos de Munique apos o almoço no dia 28 de dezembro, indo em direção a Zurique, na Suiça. A viagem foi complicada: teriamos que trocar de trem em Sttutgart, em apenas quatro minutos, o que causou uma correria enorme na gare quando descobrimos que estavamos longe da parte central da estação, onde poderiamos acessar o outro trem. Finalmente, no trem correto, enfrentamos a viagem mais lenta do passeio: o trem desenvolveu uma velocidade média incrivel de 70 km/h durante o percurso, parando praticamente de dez em dez minutos.

Chegamos à Zurique por volta das 19h. Zurique é a maior cidade da Suiça, mas é uma cidade não muito turistica… foi a cidade mais decepcionante da viagem, na minha opinião. Talvez o impacto de ter que ficar usando francos suiços ao invés de euros tenha ajudado, ja que sempre tinha um jeito de sairmos perdendo na conversão e de as coisas serem naturalmente mais caras na Suiça. De qualquer maneira, acabei comprando chocolates suiços e um canivete em Zurique, ja que o preço das coisas nacionais la geralmente vale a pena.

No dia seguinte, conhecemos o que tinha pra conhecer em Zurique, ou seja, não muita coisa: a cidade tem um centro antigo bonito, com ruas estreitas, igrejas e tal. No entanto, as igrejas (que são bem imponentes, diga-se de passagem) proibem as fotografias… Zurique tem ainda o Lago de Zurique, que propicia belas paisagens… depois de ter dado uma volta na cidade, ainda chega a chuva para ajudar… acabamos tendo uma tarde meio que monotona em Zurique, que serviu para comprar coisas e ficar matando tempo em um Starbucks.

E por hoje é so: proxima parte, Lucerna!

P.S.: post numero 50 do blog ;-)

Anúncios

Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: