Bruxelas

8 11 2009

Por volta das 7 da noite, passamos pela quarta vez na viagem pela Gare Bruxelles Midi, por onde passam a maioria dos trens do Benelux. Porém, desta vez iríamos parar por um dia na capital belga. Após uma janta rápida ali na gare mesmo (que é gigante, por sinal), fomos para o albergue. Eu já tinha sido avisado que Bruxelas era uma cidade bem perigosa: quando chegamos à estação do albergue, nos deparamos com um local inóspito. Ao sair da estação, alguns árabes sem nada o que fazer começaram a nos seguir, até que apertamos o passo e achamos a maldita rua do albergue. Até acho que os árabes não queriam nada de mais, provavelmente estavam bêbados, mas as oito da noite num lugar vazio não pareceu muito legal ficar dando corda. Bom, finalmente, chegamos ao albergue após uma caminhada numa rua tão movimentada quanto a saída da estação. O albergue era bem bom: quarto grande, banheiros decentes, café da manha bom também (com cafés das maquininhas de graça!)

Assim, quarta-feira de manha, começamos o passeio por Bruxelas. A primeira providência, como sempre, foi largar as mochilas na gare, nos armários. Desta vez, fomos de metrô, comprando o ticket para o dia todo, já que Bruxelas é uma cidade bem maior que Bruges, por exemplo. Saindo da gare, a primeira parada era o Atomium, símbolo nacional belga (eles comparam à Torre Eiffel para a França). O Atomium é uma molécula em forma de cubo aumentada alguns milhões ou bilhões de vezes, que fica numa parte bem afastada da cidade. Não tem o mesmo impacto que a Torre Eiffel, com certeza, mas mesmo assim não deixa de ser interessante, pois ele é realmente grande. Infelizmente, a entrada custava 6€, mas parece que não havia grandes coisas dentro dos nove átomos que compunham o monumento.

Logo depois, fomos para o outro extremo da cidade, para visitar o arco do triunfo belga. Bela vista do Parc du Cinquantenaire, o qual atravessamos para chegar em frente à Comission Européenne. Em seguida, visitei o Parlamento Europeu, que fica a algumas quadras dali. Este parlamento é a sede onde trabalham quase 800 parlamentares da União Europeia. Haviam até coisas escritas em português la! Depois disso, metrô novamente, desta vez para o centro da cidade, para passar pela Bolsa e pela Grand Place. A Grand Place de Bruxelas é realmente magnífica! Serve para encobrir o próximo destino, que é decepcionante… O Manneken Pis, a estátua do garoto mijão. A estátua possui menos de um metro de tamanho, é até difícil fotografá-la em detalhes…

Subimos um prédio de um estacionamento em Bruxelas de 10 andares, para obter uma vista da cidade. Na verdade, a vista até não é tão legal assim, não da pra reconhecer muita coisa e o Atomium fica bem distante. Em seguida, visitamos a Catedral de Santa Catarina, na parte norte da cidade, que é uma catedral velha e sem graça. Já não tinha mais muito a ver em Bruxelas: só restava o palácio real, logo, metro mais uma vez para o outro lado da cidade para ver a fachada do palácio, que é fechado esta época do ano. Voltamos para a gare umas três horas antes do horário do trem que pegamos. Após jantar e conhecer praticamente toda a gare voltei para Lille, para passar o resto das minhas férias descansando em casa (ou não).

Anúncios

Ações

Informação

8 responses

8 11 2009
Cassol

A cidade menos interessante…… tinha que ser a capital da Bélgica!

Depois os franceses fazem piada com os belgas e ninguém sabe por quê…

P.S.: Piadinha pra ti.

Quand une famille belge qui vas à Calais voit la plaque où on trouve “Soyez bienvenus à Pas-de-Calais”, ils font le retour et se vont chez eux.

(Pas de Calais, tu comprends?)

8 11 2009
Bruno

IOEHAIOEHAIOEHOAI Oui, oui, je comprends!

8 11 2009
Cristina

Eu e a Vivi nem te incomodamos tanto assim na volta da viagem!!!!
A gente sabe que gostas da nossa companhia!!!
hehehe

Ah, o atômium representa uma molécula de Ferro, aumentada 165 bilhões de vezes!

9 11 2009
dartagna

Fala colorado! Como tu andas de trens aí nestas bandas, hein? Pelo jeito não gostasse muito de Bruxelas? Não tirou fotos para nos mostrar? Não podia deixar de falar no teu time que empatou mais uma vez com Barueri num gol ou melhor frango do Lauro incrível. Mas não vou pegar muito no teu pé senão elas brigam comigo mimoso. Abração e bastante sucesso pra ti e estamos morrendo de saudades.

9 11 2009
Luhan

Po, eu entendi quase tudo da piada do Cassol, menos a última linha… bom, parece que não foi muito legal então, procurei imagens do atômium e não me pareceu muito legal mesmo não, de qualquer jeito, o que vale é o registro do momento né?

E Older, seu time ainda ganho, o meu foi garfado pelos árbitros, ta foda!

9 11 2009
Cassol

Luhan: tu perdeste o mais importante da piada, que é o trocadilho.

E o Inter empatou…

9 11 2009
Bruno

eu vi o lance do Simon, muito patético! ehaeiuaheiuaheiuahei

e meu time nao ganha de ninguém, ta uma porcaria, acho que nao vai pegar nem vaga na Libertadores

Sobre a piada: Pas-de-Calais é o nome da regiao. Porém, “Pas de Calais” é algo que pode ser lido como “Nao tem nada aqui que seja Calais”, por isso os belgas retornam pra casa. é que pros franceses, os belgas sao o que pra nos os portugueses sao. =)

9 11 2009
Cassol

Lembrando que o Pas-de-Calais no nome da região significa “Passo de Calais”, ou seja, algo que está muito próximo a Calais. E Calais é uma cidade litorânea, tem praias e tal. Claro que pros meus padrões, uma praia em Pas-de-Calais (bem pro norte na França) é um frio desgraçado, mas no verão deve ser bom para os belgas…

Enfim, essa piada é cláaaaaaassica na França… Super batida, mas nunca velha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: